Twisted Sad Machines

by Lonely Me

/
  • Streaming + Download

    Includes high-quality download in MP3, FLAC and more. Paying supporters also get unlimited streaming via the free Bandcamp app.
    Purchasable with gift card

      name your price

     

1.
2.
3.
4.
5.
01:35
6.
04:32
7.
02:16
8.
03:45

about

''Twisted Sad Machines'', da Lonely Me, tem cheiro de saudade e um certo gosto nostálgico. Explico: em tempos cada vez mais acelerados, o ontem passa a ser como há três séculos. Ou seja, até “ontem” o bip era um bem de última tecnologia. Hoje eu nem sei se você lembra, ou sabe o que foi o bip. Não é preciso dizer (porém, é extremamente necessário que você não perca essa perspectiva), mas, a velocidade dos avanços na comunicação e do potencial de divulgação de arte independente na internet é um dos grandes personagens desta história.

O compêndio lo-fi, todo gravado na lendária Toca do Pombo, reúne todos os elementos estéticos destes tempos: boas ideias, excelentes melodias, arranjos bem bolados, produção de baixo custo e muito amor à camisa. Ao ouvir o disco faixa a faixa (como se fazia antigamente), fui submetido à certa crise existencial, compasso a compasso, catapultado aos meus 17 anos e tudo que um dia fui e não sou mais. Para situá-lo melhor no tempo e no espaço, falo da antiguíssima era compreendida entre o fim dos anos de 1990 do século passado e o início dos anos 2000.

E a cena que vos apresento é a famigerada cena ''Seropedicense''. A palavra deriva do nome do pequeno município da baixada fluminense: Seropédica (RJ). Por isso, diz-se ''Seropedicense'' daquilo ou daquele que provém de Seropédica. Também chamada por nós de ''SeroTexas'', em razão do calor escroto que faz na cidade nas tardes de fevereiro, ou ''Seropedicity'', o que me remete a alguma doença incurável; tipo, poderia se dizer: “Coitado… Morreu de ''Seropedicity''…”.

E lá estava o jovem Val Waxman, autor da obra que agora você tem “em mãos”. Ouvindo a faixa de abertura ''(Those) Dark Places'' e lendo com atenção os versos da canção, não me restam dúvidas. A opacidade de tudo que nos cerca é o melhor material de criação que podemos ter. Vendo desta perspectiva, o álbum e as questões por trás de cada música são geniais. Toda a casca ruidosa do disco, a voz soterrada querendo gritar, mas contida, junto da masterização em fita, que torna tudo mais aveludado, rústico e analógico, se contrapõe, por exemplo, à bateria eletrônica, habilmente construída para nos enganar; todos esses elementos só ressaltam ainda mais a origem e a intenção do que se ouve. Junte as peças, monte o quebra-cabeças de ''Twisted Sad Machines'' e perceba a beleza e a alegria que é conseguir fazer música de qualidade com tão poucos recursos.

Por isso, acredite se quiser, ou puder: neste lugar no cu do mundo existe um cara que a partir de ”sad machines” produziu um material que está na tangente de tudo o que você já viu. (Apenas um detalhe: para o Rogério Skylab, o cu do mundo deveria ser o lugar mais maneiro do mundo. Se assim o for, Seropédica, o cu do mundo, até que é um lugar legal). Toda essa história, de certa forma, me remete àquele livro do Gladwell Malcom, “Fora de Série”. O livro tenta explicar o que é necessário para um indivíduo vir a ter sucesso em alguma determinada atividade. E a conclusão de que Malcom chega é que, além da experiência mínima de 10 anos (ou 10 mil horas) de prática na atividade pretendida, tal indivíduo ainda necessitaria de, claro, talento, amigos influentes, uma certa quantia de dinheiro e (pasmem) ter nascido na época certa para o desenvolvimento de tal atividade! Ou seja, putaqueopariu! E eu sempre ficava pensando ao ler o livro: meu Deus, quantos lugares escrotos desse Brasil e do mundo não guardam uma cena que eu nunca vou saber da existência? Quantas músicas legais vou deixar de ouvir por falta de recurso, ou pela infelicidade de um excelente compositor ter feito os amigos errados, ou nascido na época errada, ou no lugar errado?

Hoje o mundo está diferente e temos a oportunidade de ouvir e ter acesso a muitos cus do mundo. O fato é que o cu do mundo nunca esteve tão acessível. Mas, voltando ao ''Twisted Sad Machines'' e à Lonely Me, Val Waxman deve ter já acumulado em seu currículo umas 20 mil horas de ''know-how'' em “barulhismos lo-fiísticos”… Assim, no meu caso, as oito músicas deste projeto soam ainda mais surpreendentes, pois conheço de longa data a mente idealizadora de todo o projeto. Por isso, sou suspeito em tecer qualquer tipo de elogio; conheço bem a capacidade de criação deste camarada. Mas, tenho uma pergunta a fazer: cara, onde você guardou essas músicas esse tempo todo? Eu sei, não responda. No cu do mundo.

por Leonardo Oliveira

credits

released July 23, 2018

#048

''Twisted Sad Machines'' é um EP gravado no Rio de Janeiro em 2017

música por Val Waxman
produção por Val Waxman, Andre Leal e Kleber Mariano
capa por Mário Alencar (behance.net/marioalencar)

lonelyme.bandcamp.com
lonelyme.bandcamp.com
lonelyme.bandcamp.com

license

all rights reserved

tags

about

Crooked Tree Records Maceió, Brazil

Selo virtual/Brazilian net-label DIY

contact / help

Contact Crooked Tree Records

Streaming and
Download help

Track Name: (Those) Dark Places
Can I have my days back home or I've lost it all the way?
Pushing back steps
Lost inside my head

Back in time around your arms did you feel the same as me?
Moving down the tracks
Crashing like a mend

I've used to learn from my mistakes and fears
To walk alone and fill the space between
Those dark places melting underneath my skin
I needed to know if you were in

Sleeping on a trap
Fading from your head (and dreams, just standing still)
Falling from your map
Crossing lines in sand (tears I've drowned in)

I've used to learn from my mistakes and fears
To walk alone and fill the space between
Those dark places melting underneath my skin
I needed to know if you were in

Val Waxman
Track Name: Summer's Bruise
The summer now has gone
And there's winter all the year
It reminds me when you've gone
This time I've got it clear
You think you know it all
But this bruise just got you here
I know you think I'm wrong
But this time it disappeared

The distance disappeared
The distance disappeared

The summer now has gone
And there's winter all the year
You think you know it all
But this bruise just got you here
It reminds me when you've gone
This time I've got it clear
I know you think I'm wrong
But this time it disappeared

The distance disappeared
The distance disappeared

Now I feel I've got you here

Val Waxman
Track Name: Old Prick Wintering
My father caught me stealing pot and needles from his bed
My sister's girlfriend never wants to kiss my sister's breasts
Hear me now?
Can you hear me now, pal?
Break me down...
This feeling from my cloud

Time get's tougher as days goes by my head up on my back
Friends and beer never seems to hold hands with my past
I've found you waiting in silence these old days coming alive
So now I wonder why I've got this mad
It seems just right

Hear me now? (break me down)
(Please) save me now! (This nightmare in my heart)

I've never meant to kiss you harder than that day in life
But then I realized my wish got stuck on a winter's night
I just want to hold up with my past within your head
To stay alive and smile, open this box and see you there

Val Waxman
Track Name: Cold and Damp
I've used to run on everyone
Who seems to take a break on me
And I've cared to fight against the ones
Who seems to carry on my sins

These harder days of mine
It pushed me back right to sleep
On cold and damp sad eyes
I've found myself sinking

I'm lying on my bed, thinking
Speeding through my hell, choking
Relying on the ones I should decline

These harder days of mine
It pushed me back right to sleep
On cold and damp sad eyes
I've found myself sinking

I'm lying on my bed, thinking
Speeding through my hell, choking
Relying on the ones I should decline
I'm lying to myself, faking
Grasping inside my cell, soaking
Denying all the ones I should comprise

"Just wash away these sorrows
From this cold and damp sad eyes"

Val Waxman
Track Name: Push and Go
Run through my mind
And wake me up from this dream I live inside
Hold onto this soul
And leave this body break, sick, undone

Forgive the past and let it be
Let's set it down here
That's all we need to seek!

Love, tears, freaking, push and go
Mourn, fear, freezing up your soul
Stay true, blind against the light
Play full, binding up our mind (Go!)

Reach me inside
Crossing in this desert fire of mine
Climb up this wall
Stay behind the memory of time

Forgive the past and let it be
Let's set it down here
That's all we need to seek!

Love, tears, freaking, push and go
Mourn, fear, freezing up your soul
Stay true, blind against the light
Play full, binding up our mind

Love tricks, teasing in your head
Death shrines hanging by your bed
Stay true, blind against the light
Moon shine longing by your side (Go!)

Val Waxman
Track Name: Alone
No...
I cannot control
This ain't my fault
I have no control
Oh lord

No...
I'm just all alone
Rewarding myself
And hiding my skills
I'm just all alone

I'm just all alone
I'm just all alone
I'm just all alone
I'm just so alone

Val Waxman
Track Name: Night Sky
Hey... I've been drifting
We've been fading for too long
Now it's time to leave, soon
Stay just where you want to stay
But open doors awaits for you
To paint the skies and share your gloom
Anyway, it's your choice, son

Would you come along to show me
All the things I've lost for years?
It doesn't hurt you when the night comes
To feed my dreams and dry your soul...

Say just what you want to say
And open doors will wait for you
To paint the skies and share your bloom
Anyway, it's your time, soon

Would you come along to show me
All the stuff I've messed through years?
It doesn't hurt you when the night comes
To fill my dreams and dry your soul

Val Waxman

If you like Twisted Sad Machines, you may also like: